Enquanto o comércio de veículos, motos e peças teve queda de 0,6% em novembro ante outubro (a segunda mensal consecutiva), as vendas de material de construção no Brasil mostraram reação e fizeram o movimento do varejo aumentar 0,6% em novembro em relação a outubro, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, divulgado nesta quinta-feira. No dia 25, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou que os produtos de construção prosseguirão isentos de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) por mais seis meses.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237575291714&_c_=MiGComponente_C

O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio mostra que, depois de ter sofrido vários meses de declínio (nos últimos dez meses, foram sete), o comércio varejista do setor de artigos de construção subiu 2,2% em novembro ante outubro. A ampliação colaborou para mais um mês de crescimento (o 12º seguido) na atividade do comércio do País, realizados os ajuste sazonais (acertos em função da variação de estação).

A prorrogação da redução do IPI dos aparelhos eletrodomésticos da linha branca e o crédito também animaram a atividade comercial de bens duráveis (categoria de produtos que têm utilidade durante um grande período de tempo). No confronto anual, o comércio varejista teve alta de 15,8% em novembro ante o mesmo mês de 2008, o maior índice de crescimento anual desde julho de 2008, que havia sido de 19,3% contra julho de 2007.

Apesar da queda mensal no setor de veículos e motos, o segmento avançou 32,1% na comparação com novembro de 2008. Já o setor de móveis, eletroeletrônicos e informática cresceu 25,8% em novembro em comparação à mesma época de 2008. O segmento também se sobressaiu em novembro de 2009, com a prorrogação de parte do incentivo fiscal de IPI e as melhores condições de crédito, e cresceu 2,7% ante outubro.

Tecidos

O setor de tecidos, vestuário, calçados e acessórios mostrou elevação de 19,3% em novembro deste ano ante mesmo mês de 2008. O destaque de queda, na comparação anual, continua sendo o segmento de material de construção, que, apesar da alta mensal de 2,2% em novembro, ainda teve um acentuado recuo ante mesmo mês de 2008 (13,4%). No acumulado de 2009, o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio teve alta de 5,7%.

Leia mais sobre: material de construção

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.