Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Marsans desmente rompimento de negociações sobre Aerolíneas Argentinas

Buenos Aires, 30 out (EFE).- Um diretor do grupo espanhol Marsans informou hoje as negociações com o Governo da Argentina sobre a venda da Aerolíneas Argentinas não foram rompidas, mas pediu uma mediação para superar as grandes divergências em relação ao preço da companhia aérea.

EFE |

"As negociações não foram interrompidas", disse à Agência Efe Eduardo Aranda, representante da Marsans na comissão que administra a companhia aérea interinamente em sua transição para o Estado argentino.

Aranda declarou que houve um "mal-entendido" na conversa na qual o porta-voz da Marsans na Argentina, Jorge Molina, disse hoje que o grupo espanhol dava por terminadas as negociações por falta de acordo entre as partes.

Depois de afirmar que "as negociações vinham se estendendo sem nenhum sentido", Molina destacou que a Marsans propôs "uma série de consultoras de reconhecido prestígio internacional" no ramo da aeronáutica para discutir a questão do preço da Aerolíneas Argentinas e da subsidiária de vôos domésticos Austral.

Aranda disse agora que as negociações continuam, mas frisou que "não podem durar para sempre", porque a venda da Aerolíneas Argentinas "precisa de uma solução definitiva".

"Eu diria que o que foi dado é mais um passo no acordo de compra e venda de 17 de julho", disse.

O acordo estabelece que uma empresa de consultoria de prestígio internacional determine o preço da companhia em caso de divergências.

Aranda disse que a Marsans propôs várias consultoras para fazer uma arbitragem e está à espera de uma resposta.

O acordo de compra e venda não foi aprovado pelo Congresso argentino, que aprovou em setembro uma lei para a repatriação da Aerolíneas Argentinas com base no preço calculado pelo Tribunal de Taxações da Nação.

Na semana passada, o tribunal disse que Aerolíneas Argentinas e Austral têm ativos de US$ 239 milhões e passivos de US$ 1,071 bilhão, o que dá saldo negativo de US$ 832 milhões.

A auditoria encomendada pelo Marsans ao Crédit Suisse estabeleceu, por outro lado, que o valor das duas companhias oscila entre US$ 330 milhões e US$ 546 milhões. EFE alm/wr/plc

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG