BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o país deverá fechar o ano com um crescimento econômico de 5%. De acordo com o ministro, a situação de crise internacional se colocou como um impeditivo para que a economia alcançasse patamares maiores de crescimento.

Durante duas décadas o Brasil cresceu entre 2% e 2,5%, em média. Agora nós já estamos em um patamar entre 4% e 5%. Tudo que for entre 4% e 5% é um bom desempenho para a economia. Nós crescemos 5,5% no ano passado e este ano devemos crescer 5%. Em função da crise internacional e das questões de inflação, o próprio governo tem promovido uma desaceleração moderada da economia, explicou Mantega.

O ministro não quis fazer uma previsão sobre a nova taxa de juros que deverá ser decidida pelo Comitê de Política Econômica (Copom) na quarta-feira (10).

Mantega se limitou a dizer que aprova o atual ritmo implantado pelo Banco Central. Os juros estão crescendo de maneira bastante satisfatória e o nível de investimento é um dos maiores da história, avaliou o ministro.

O ministro da Fazenda destacou que apesar do cenário de crise econômica internacional, o Brasil se encontra em uma situação inédita. Cresce o bolo, cresce a riqueza e ela é dividida, ela é compartilhada, tudo isso com solidez fiscal e monetária. Essa conjugação é que é inédita no Brasil.

(Agência Brasil)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.