Tamanho do texto

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, pediu nesta quinta-feira, durante jantar promovido pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), em São Paulo, que todos os brasileiros se esforcem para que a economia cresça 4% em 2009. Mantega classificou a meta como ¿ambiciosa, mas exequível¿. Por sua vez, Henrique Meirelles, presidente do Banco Central, defendeu que as instituições financeiras tenham prudência contra a crise financeira.

Acordo Ortográfico






Mantega também reconheceu que a crise internacional ainda acarreta em falta de crédito e aumento do custo financeiro no país. Porém, ressaltou que medidas já foram tomadas e que elas estão fazendo efeito.

O ano de 2008 está revelando a capacidade da economia brasileira de suportar adversidades, complementou o ministro da Fazenda, destacando o bom comportamento da economia nacional nos últimos meses.

"A prudência compensa"

O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, alertou aos banqueiros do país quanto a importância da prudência contra a crise financeira internacional. Em seu discurso, ele foi claro ao dizer para os donos das instituições financeiras que "a prudência compensa".

Segundo o presidente do Banco Central, o sistema financeiro nacional só não foi mais prejudicado pela crise por causa das rigorosas medidas de regulação adotadas pelo BC anos atrás. "O compulsório que os senhores tanto reclamavam, legitimamente, hoje é visto com outros olhos", disse.

Henrique Meirelles ainda afirmou que é importante a criação de um novo marco regulatório do sistema financeiro para o país e frisou, "vamos devagar que estou com pressa".