Tamanho do texto

SÃO PAULO - Questionado nesta sexta-feira sobre a súbita troca no comando da Secretaria da Receita Federal, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse apenas que Jorge Rachid, ex-titular do posto, foi substituído. A informação, mesmo que pouco esclarecedora, contrasta com a divulgada ontem no Diário Oficial da União, de que a saída de Rachid ocorreu a pedido.

Pouco disposto a avançar no assunto, Mantega se limitou a dizer que o profissionalismo na Receita vai continuar o mesmo, pois trocamos um profissional pelo outro, referindo-se à nova chefe do órgão, Lina Maria Vieira. A afirmação foi feita pouco antes de o ministro deixar a sede da Associação Brasileira da Infra-Estrutura e Indústria de Base (Abdib), onde se reuniu com empresários.

Desde ontem, as versões sobre a saída de Rachid eram desencontradas, porém Mantega ainda não havia se manifestado. A oficial era a de que o secretário havia pedido para sair. A de assessores próximos a Rachid, porém, era a de que ele teria sido dispensado por Mantega. Corre a informação de que o ministro pretendia afastar Rachid e Bernard Appy, remanescentes da equipe de seu antecessor, Antonio Palocci, e não teria feito isso antes devido ao apreço do presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelos dois.

No início do mês passado, Appy deixou a Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Fazenda e partiu para a área de reformas estruturais da pasta. Agora, Rachid também se foi, e ainda não se sabe se voltará a ocupar cargo no governo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.