Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mantega: BC mostrará que crédito melhorou este mês

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou hoje que os resultados parciais das operações de crédito no mês de novembro, que serão divulgados amanhã pelo Banco Central, vão mostrar que já houve uma melhora em relação a outubro. Não quer dizer que estamos numa normalidade.

Agência Estado |

Não houve normalização (do crédito), principalmente porque o médios e pequenos bancos ainda não voltaram a atuar no mercado", disse o ministro, durante entrevista coletiva à imprensa após reunião do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com sua equipe de ministros.

Segundo Mantega, o crédito melhorou em novembro na comparação com o mês anterior, mas não está "no ponto ideal, satisfatório". Ele ressaltou que a prioridade dada pelo presidente Lula é de manutenção dos investimentos, o que já é, na avaliação do ministro, uma política anticíclica. "Isso mantém no Brasil um grande canteiro de obras. Não vamos reduzir, interromper (investimentos). E vamos fazer tudo para manter as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no ano que vem", disse o ministro, acrescentando que, se houver queda na arrecadação, os cortes virão no custeio. Segundo ele, as despesas essenciais para manter o crescimento, gerar emprego e renda serão preservadas.

O ministro destacou também que o governo tem atendido setores prioritários da economia, como o agrícola e o automotivo. "Um que depende mais do crédito (agrícola) e outro que emprega mais gente (automotivo)", disse. Mantega ressaltou que somente o setor de motos representa 50 mil empregos na Zona Franca de Manaus, por isso, as recentes medidas beneficiando o segmento. "Estamos muito atentos aos impactos setoriais", disse.

EUA

O ministro informou que Lula manifestou durante a reunião ministerial sua preocupação com um "vácuo de poder" nos Estados Unidos neste momento em que as economias mundiais precisam adotar medidas para combater os efeitos da crise financeira mundial.

Mantega disse que esse vácuo de poder ocorre porque, depois de oito anos no governo, o atual presidente, George W. Bush, está mais fraco politicamente. Por outro lado, o novo presidente, Barack Obama, que está com prestígio, ainda não assumiu. "Teremos 60 dias de vazio de governo no momento em que é preciso tomar medidas", disse o ministro, lembrando que hoje de manhã foi necessária uma intervenção rápida no Citibank.

Para Mantega, a antecipação do anúncio da equipe econômica de Obama pode ajudar um pouco nesse cenário. Ele classificou como positiva a escolha de Timothy Geithner para secretário do Tesouro. Segundo o ministro, Geithner já está envolvido no processo de recuperação da economia norte-americana e, por outro lado, é um homem de confiança dos Democratas. "Então, acho que ele faz bem esta ponte", disse o ministro.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG