Santiago do Chile, 3 set (EFE).- Em protesto contra os problemas econômicos chilenos, cerca de 30 devedores de hipotecas invadiram um seminário em Santiago organizado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) em que participava o ministro da Fazenda Guido Mantega.

Os devedores interromperam a reunião, realizada em um hotel da capital chilena, quando debatiam o subdiretor-gerente do FMI, John Lipsky, o ministro da Fazenda do Chile, Andrés Velasco, o representante da Noruega, Martin Skancke, além de Mantega.

Os ministros tiveram que abandonar o salão e se refugiar em uma cozinha do hotel, já que a segurança do estabelecimento não foi capaz de conter o ímpeto dos manifestantes, em sua maioria mulheres.

Elas levavam um boneco de tamanho natural que representava o ministro Velasco, culpado pelos manifestantes como responsável pelas mazelas econômicas do país.

Os manifestantes pertencem à Associação de Devedores de Habitações, que protestam contra as altas quantias que precisam pagar. Eles se tornaram conhecidos por incidentes em atos oficiais, de preferência aqueles em que participava a presidente do Chile, Michelle Bachelet.

Após interromperem o seminário, os manifestantes ficaram nos corredores do hotel e condicionaram sua retirada à libertação de três deles que, segundo disse à Agência Efe Paulina Carrasco, uma dos dirigentes do grupo, permaneciam retidos pelos guardas do hotel.

EFE mc/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.