Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mais economia após a compra

É difícil dizer qual a melhor característica de um carro discreto e ao mesmo tempo tão eficiente como o Corolla.Por isso, vamos logo ao seu ponto negativo: o preço bem mais alto que o dos dois rivais deste comparativo.

Agência Estado |

Mas a diferença diminui ao se pesar outros fatores importantes. Por ser o único com motor flexível, ele tem um custo por quilômetro rodado mais baixo.

O Toyota é também um carro consolidado no mercado, com vendas significativas desde o lançamento da geração anterior, em 2002. Por isso, é fácil de revender. Nesse aspecto o C4, que tem só um ano de vida (e está tendo bom desempenho no segmento) e mesmo o Mégane, lançado em 2006, ainda são incógnitas.

Voltando à mecânica, o motor 1.8 de até 136 cv não se destaca só por rodar com álcool e gasolina, mas por ter ótimo rendimento. A potência, por exemplo, se equivale à dos rivais 2.0. O câmbio também se mostra muito eficiente, mesmo sem comando seqüencial, como nos dois concorrentes. A direção, que passou a ser elétrica, é mais leve que a do Citroën e mais precisa que o do Mégane.

Sem opcionais, o topo-de-linha do Corolla agora oferece banco elétrico do motorista, sensores dianteiro e traseiro de estacionamento e faróis de xenônio, entre outros itens.

O piso plano, que proporciona mais espaço às pernas de quem vai atrás, é um dos destaques no interior.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG