Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mais brando, BC deve levar Selic a 14,5% até dezembro, diz economista

SÃO PAULO - O Banco Central (BC) deve aceitar a contribuição do aperto global de crédito e desacelerar o aperto monetário no final deste mês, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) definirá o rumo da Selic. Para André Loes, economista chefe do banco HSBC, o BC está ponderando neste momento as condições de inflação e a possibilidade de que o país comece a importar deflação.

Valor Online |

Nessa balança, a tendência é que o peso da crise internacional seja mais forte do que as preocupações com o centro da meta de inflação, "que ainda está forte". O economista avalia que mesmo sendo conservador, o BC não é dogmático, sendo capaz, portanto, de fazer o movimento que julgar mais adequado sem se sentir pressionado a manter a figura rígida perante os preços.

Loes afirma que manteve as estimativas que tinha para os próximos passos do BC antes do agravamento da crise. De acordo com ele, o comitê deve promover uma alta adicional de 0,50 ponto percentual neste mês e um aumento de 0,25 ponto para encerrar o ciclo de aperto em dezembro, com taxa anual a 14,5%.

Essa convicção está embasada nos problemas de crédito que partiram dos Estados Unidos e devem estancar o crescimento de outras economias, inclusive a do Brasil. Com menos crédito e um motor mais fraco de crescimento, a preocupação do BC com os preços ficaria solucionada.

O economista estima que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil feche 2008 com 5,3% de alta e desacelere significativamente para um crescimento de 3,7% no ano que vem. No entendimento de Loes, embora as decisões de investimentos sofram no curto prazo, não há razão para eles não voltem a acontecer no médio prazo. Para 2010, Loes avalia que o país tem condições de recuperar o fôlego e alcançar um crescimento de 4,4%. "A confiança de médio prazo não se abalou e não tem porque se abalar", reforça.

(Bianca Ribeiro | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG