Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Maioria das posições em derivativos já foi liquidada, diz Meirelles

SÃO PAULO - A maioria das empresas com exposição em derivativos cambiais já liquidou seus compromissos, comentou há pouco o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles. A maioria das posições de derivativos já foram liquidadas.

Valor Online |

Portanto, o mercado já está voltando à normalidade."
Meirelles fez o comentário ao apresentar um sumário de causas, efeitos e buscas de solução para os efeitos da crise internacional no Brasil. Um dos canais de transmissão da crise para o país teria vindo da pressão cambial gerada pela exposição em mercado futuro de empresas exportadoras em um nível além da necessário apenas para proteção (hedge).

O dirigente do BC lembrou que a outra porta de entrada da crise no Brasil, a redução da oferta de crédito, também estaria se normalizando. "Nossa avaliação é de que os mercados ainda não voltaram à normalidade, mas posso adiantar que há uma tendência gradual de recuperação" desde o mês de outubro, notou.

Meirelles ressalvou que essa análise de recuperação é uma temperatura média do mercado e que o movimento não atinge a todos ao mesmo tempo. Assim, alguns setores podem ainda estar sentido mais os efeitos da crise do que outros.

O presidente da autoridade monetária reforçou ainda o volume significativo de atuações do BC para injetar liquidez no mercado doméstico. Nas transparências apresentadas em sua exposição na Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos (Amcham), Meirelles apontou colocação de US$ 40 bilhões até o dia 5 deste mês. Dentro desse total, o maior montante veio por meio de leilões de swap cambial (US$ 26 bilhões). Além disso, leilões de linha com opção de recompra somaram US$ 5,8 bilhões, operações compromissadas com linhas de exportação totalizaram US$ 3,1 bilhões. Ofertas à vista no mercado de câmbio ficaram em US$ 5,1 bilhões.

Meirelles fez questão de afirmar que apenas estas ofertas saíram do total de reservas internacionais do país, que se situam em US$ 204 bilhões até o dia 5.

(Bianca Ribeiro | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG