L paga 9 milhões de euros por violar regra de venda de seguros - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

A L paga 9 milhões de euros por violar regra de venda de seguros

Londres, 7 out (EFE).- O banco britânico Alliance & Leicester (A&L) aceitou pagar uma multa de 7 milhões de libras (9 milhões de euros) por descumprir regra de venda de seguros.

Agência Estado |

"Nós realmente precisamos de cortes agressivos nas taxas de juros, na minha opinião, mas ainda não há sinais de que as autoridades dos bancos centrais seguirão a iniciativa do banco central australiano", disse Jeremy Batstone-Carr, diretor de pesquisas da Charles Stanley em Londres. O banco central australiano cortou a taxa básica de juros em 1 ponto porcentual.

"Qualquer corte na taxa deve provocar um rali no curto prazo", disse Christian Tegllund-Blaabjerg, estrategista do Saxo Bank na Dinamarca. "Tudo agora depende da resposta das políticas à crise do crédito".

Perto do fim da sessão, os mercados europeus receberam um leve impulso com a divulgação de um programa do Federal Reserve para suavizar o aperto de crédito de curto prazo por meio da aquisição de commercial papers. "O plano certamente aborda um problema que poderia ser grave e devolve confiança ao mercado de ações", disse o economista Kevin Logan, da Dresdner Kleinwort.

Em Londres, o índice FTSE 100 terminou em alta de 16 pontos, ou 0,35%, em 4.605,2 pontos. O setor bancário britânico registrou queda significativa após a notícia de que Royal Bank of Scotland (RBS), Lloyds TSB e Barclays pediram auxílio ao governo do Reino Unido. As ações do RBS caíram 39,23%, o Barclays recuou 9,24% e o Lloyds perdeu 12,93%.

As mineradoras subiram, incentivadas pelo enfraquecimento dos receios sobre a diminuição na demanda por commodities. A Eurasian Natural Resources avançou 8,18%, a Anglo American 2,98% e a BHP Billiton 1,59%.

O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, terminou em baixa de 60,38 pontos, ou 1,12%, a 5.326,53 pontos. No entanto, operadores enxergam os primeiros sinais de um piso para o mercado, argumentando que os futuros do DAX operam de lado. "Este é um bom sinal, porque mostra que a pressão das vendas desapareceu", disse um trader. Entre os bancos, o Commerzbank caiu 14,20% e o Deutsche Bank 8,94%. As ações da Volkswagen, que chegaram a registrar alta de até 50% durante a sessão, encerraram em queda de 1,83%.

Em Paris, o índice CAC-40 avançou 20,24 pontos, ou 0,55%, para 3.732,22 pontos. O BNP Paribas subiu 1,37%, o Crédit Agricole 0,36%, e o Société Générale 0,03%. O Dexia, que anunciou uma nova equipe na gerência, recuou 13,31%. As ações do setor petroleiro tiveram recuperação, acompanhando a alta nos preços do petróleo. A Total subiu 3% e a Vallourec 5,04%.

O índice IBEX-35, da Bolsa de Madri, avançou 136 pontos, ou 1,27%, para 10.862 pontos. O Banesto subiu 4,87% após divulgar os resultados do terceiro trimestre. O Santander caiu 2,91%. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: bolsa de valores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG