Tamanho do texto

PEQUIM - A China National Petroleum Corporation (CNPC), a maior petrolífera do gigante asiático, anunciou um plano reduzir 5% de seu quadro de funcionários (80 mil do total de 1,67 milhão) devido ao aumento dos custos trabalhistas, informou hoje o jornal estatal China Daily.

A decisão foi anunciada pelo diretor-geral da companhia, Jiang Jiemnin, em reunião com executivos da empresa em Yanan (província de Shaanxi, norte).

O lucro da CNPC, uma das maiores do mundo no setor, caiu 31,5% no primeiro trimestre de 2008, devido às perdas sofridas por suas refinarias, entre outros fatores.

Na primeira metade do ano, as refinarias da CNPC perderam US$ 8,35 bilhões, uma alta de quase 50% em relação ao mesmo período de 2007.

Para enfrentar a crise, a corporação já tinha tomado medidas como a redução de 10% nas despesas de seus escritórios, incluindo viagens e festas de seus executivos.

Em junho, o Governo chinês decidiu aumentar drasticamente os preços dos combustíveis (18% para a gasolina e 16% ao diesel) para adaptá-los à conjuntura do mercado internacional, já que tinham se mantido artificialmente baixos durante meses por Pequim.

A medida não conseguiu atenuar a crise das refinarias chinesas, que tiveram de continuar aumentando as importações de petróleo para fazer frente à escassez nacional. EFE abc/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.