Brasília, 21 - Após reunir-se com o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, o governador do Mato Grosso, Blairo Maggi, afirmou que os produtores rurais ainda não tiveram acesso aos recursos adicionais liberados pelo governo para o crédito rural. De acordo com ele, esse problema é verificado em outros setores que foram beneficiados por medidas de crédito anunciadas nas últimas semanas pelo governo para combater os efeitos da crise financeira internacional.

"De uma maneira geral, esses recursos não chegaram na ponta", afirmou.

Apesar das medidas anunciadas pelo Banco Central e pelo Ministério da Fazenda para elevar a oferta de crédito, o governador disse que os financiamentos continuam muito caros. "Na semana passada, não havia oferta de dinheiro. Nesta semana, a oferta de crédito aumentou, mas (o custo do financiamento) continua alto", disse.

Maggi lembrou que um contrato de Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC) custava Libor mais 4% antes da crise que reduziu a oferta de crédito. Hoje, o custo do mesmo contrato é de Libor mais 15%. A Libor é a taxa para empréstimos entre bancos.

Diante desse quadro, o governador defendeu que o Banco do Brasil "entre no mercado oferecendo juros civilizados", que, segundo ele, devem ser de Libor mais 5% ou 6%. "Sem isso, nenhuma trading vai tomar esses financiamentos e repassar para os produtores", disse.

Para o governador, a economia mundial está "no meio de um terremoto". "Não dá para sair de casa para saber quem se salvou ou não. Vai demorar alguns dias para a oferta de crédito voltar para a normalidade", afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.