O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, aproveitou a proximidade da comemoração do Dia do Trabalho, amanhã, para anunciar a elevação da sua previsão para criação de empregos no Brasil este ano. De acordo com nota do ministro divulgada no site do Ministério do Trabalho, o País poderá registrar a geração de 2,5 milhões de postos formais de trabalho no ano.

O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, aproveitou a proximidade da comemoração do Dia do Trabalho, amanhã, para anunciar a elevação da sua previsão para criação de empregos no Brasil este ano. De acordo com nota do ministro divulgada no site do Ministério do Trabalho, o País poderá registrar a geração de 2,5 milhões de postos formais de trabalho no ano. Se for confirmada a estimativa, será um recorde histórico. Até então, o ano que registrou a maior quantidade de novas vagas de trabalho com carteira assinada foi em 2007 com 1,617 milhão vagas formais.

No início do ano, o ministro projetava a marca de 2 milhões de novas vagas em 2010 e, mais recentemente, já falava em "mais de 2 milhões" sem precisar de quanto seria essa diferença. No último encontro com jornalistas de Brasília, há cerca de 15 dias, Lupi chegou a dizer que só faria alterações ao final do primeiro semestre, quando tivesse uma base de dados mais sólidas a respeito do comportamento do mercado de trabalho em 2010.

Na nota do Ministério do Trabalho, o ministro ressaltou que foram criados 12 milhões de empregos formais no País nos últimos sete anos, o que já é um recorde nesse período de avaliação. "No ano passado, mesmo com a crise internacional, mais um milhão de brasileiros conseguiram emprego com carteira assinada. Por isso estou convicto de que fecharemos o governo Lula com mais este recorde de 2,5 milhões de novos empregos", salientou.

O ministro está hoje no Rio de Janeiro, onde participa das comemorações do Dia do Trabalho. Segundo a assessoria de imprensa do ministério, amanhã ele deve comparecer às festividades do 1º de Maio em São Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.