Tamanho do texto

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, negou nesta quarta-feira que o governo esteja estudando fechar um acordo com empresários que permita a redução de salários, como forma de contornar os efeitos da crise financeira internacional. Não há possibilidade de ter redução de salário nenhuma, afirmou o ministro, em entrevista coletiva à imprensa.

Ele admitiu, porém, que está trabalhando uma proposta de seguro ao emprego que será apresentada, possivelmente ainda hoje, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Enquanto o presidente da República não bater o martelo, não existe proposta nenhuma", disse Lupi.

Ele admitiu também a possibilidade de redução de jornada de trabalho e utilização de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), mas não deu mais detalhes. "Estamos focados na garantia do emprego sem diminuição de salário", insistiu Lupi. Segundo ele, quando há redução de salário há também uma redução na circulação do dinheiro no mercado interno. "O principal foco do governo é não ter perda de poder aquisitivo pelo trabalhador", disse o ministro, afirmando que ainda estão sendo avaliadas formas de compensação para a redução de jornada de trabalho.

Ele informou que na próxima sexta-feira irá a Volta Redonda (RJ) conversar com trabalhadores e empregadores do setor de siderurgia, para evitar que haja demissões no setor.

Leia mais sobre emprego