O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, reconheceu hoje, em entrevista coletiva à imprensa, que é negativo o quadro de emprego e desemprego no País em janeiro, quando foram fechadas 101.748 vagas, mas observou que esse resultado é bem menos desfavorável do que o de dezembro, quando foram demitidos 654.

946. "O saldo do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) é negativo, mas não caminha para a catástrofe anunciada", disse o ministro.

Segundo Lupi, o mês de fevereiro ainda será fraco em termos de recuperação de empregos, mas, em março, haverá uma retomada. "Os números mostram que aquilo que eu avaliava começa a ser confirmar", disse.

O ministro previu que uma retomada será impulsionada pelos setores de construção civil e de serviços - os mesmos que apresentaram saldo positivo em janeiro. "O pior da crise já passou. Março começará com saldo positivo." Ele observou que também a agricultura começa a apresentar sinais positivos.

Lupi manteve a previsão para 2009 de geração de 1,5 milhão de empregos no País. Na avaliação do ministro, a demanda interna continua aquecida em função de várias medidas adotadas pelo governo, inclusive o aumento real do salário mínimo - de R$ 415,00 para R$ 465,00. Esse aumento, segundo ele, injetou R$ 2,5 bilhões na economia.

O ministro do Trabalho informou que ainda não estão fechadas as medidas voltadas para a criação do que ele chama de "seguro-emprego". Disse apenas que estão sendo estudadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.