O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu ontem (7) à noite o prêmio de Brasileiro do Ano oferecido pela revista IstoÉ e agradeceu aos trabalhadores que mantiveram o consumo e aos empresários que mantiveram investimentos em meio à crise financeira internacional. É importante dedicar esse prêmio àqueles brasileiros, aos trabalhadores brasileiros, que vivem no anonimato e que estão conquistando sua cidadania aos poucos, afirmou Lula, em discurso durante a cerimônia de premiação.

"É importante dedicar o prêmio também aos empresários que não se acovardaram e resolveram enfrentar a crise de peito aberto e vencê-la, e aos intelectuais que tiveram a coragem de fazer o debate econômico pela imprensa", acrescentou.

Lula voltou a alfinetar a imprensa, que, segundo ele, o ironizou quando disse que crise passaria pelo País como uma "marolinha". "No Brasil, temos a turma do ‘eu acho’, do ‘achismo', que não perde oportunidade de criar condições para que a desgraça permaneça neste País", afirmou. "No Brasil, tem uma coisa engraçada. Tem dia que você acorda, lê os jornais e a vontade é de se matar, porque o mundo está acabando. Se vocês então ficarem só nas manchetes, nem saiam de casa, porque tem um certo azedume, aquela coisa tão azeda que faz mal para o País", declarou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.