Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lula vai tratar de corte de juros e spread com bancos, informam Sindicatos

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai se reunir na quarta-feira com representantes de bancos públicos e privados para discutir mecanismos de redução de juros e spreads, disseram na segunda-feira presidentes das centrais sindicais, que se reuniram com Lula no Planalto. Segundo os sindicalistas, o aumento da oferta do crédito no país é tratado como prioridade pelo governo.

Reuters |

 

"O presidente chegou a dizer que a questão de juros e spread é a coisa mais importante nesse momento", afirmou Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, presidente da Força Sindical.

A queda dos juros nos empréstimos bancários e dos spreads foi uma das principais demandas levadas pelos sindicalistas ao encontro com o presidente.

As centrais defenderam também um corte expressivo na taxa básica de juros (Selic), e falaram em redução de até dois pontos percentuais já na reunião desta semana do Comitê de Política Monetária do Banco Central. A Selic está atualmente em 13,75% ao ano.

"O presidente se mostrou favorável em reduzir os juros, seja da Selic, seja do spread bancário", comentou o presidente da CUT, Artur Henrique.

Além de se encontrar com representantes do sistema financeiro, Lula disse aos sindicalistas que pretende se reunir ainda essa semana com os 50 maiores investidores privados do país para saber quais as razões dos anúncios de adiamento de investimentos.

O presidente assegurou às centrais que o reajuste do salário mínimo este ano para R$ 465 reais está mantido e que os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e das empresas estatais não sofrerão cortes.

Segundo os presidentes das centrais sindicais, Lula teria demonstrado apoio à idéia de condicionar a concessão de financiamento de bancos públicos à garantia de manutenção do emprego. "Nós cobramos a necessidade de debater a questão das contrapartidas e esperamos novidades para os próximos dias", disse Artur Henrique.

Segundo Paulinho, o presidente também acenou com a possibilidade de o governo aumentar a liberação do seguro-desemprego para os trabalhadores que forem demitidos por causa da crise. "O presidente disse que estão estudando uma proposta para apresentar", disse Paulinho.

Leia tudo sobre: lula

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG