O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, está reunido na tarde desta quarta-feira com dirigentes da Embraer para tratar sobre as 4,2 mil demissões anunciadas pela empresa na última quinta-feira. Segundo comunicado oficial da empresa, a medida se deveria à crise financeira internacional.

De acordo com interlocutores do Palácio do Planalto, o presidente pretende encontrar uma solução para evitar as demissões. Ao saber da possibilidade de demissões, na semana passada, o presidente teria ficado abalado e surpreso, pois, segundo assessores, ele acredita que não há fato que justifiquem demissões em massa no País.

Na última sexta feira, o secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Luiz Carlos Prates, exigiu uma posição imediata do presidente Lula para reverter o quadro. Ele exigiu ainda que o governo edite emergencialmente uma Medida Provisória que garanta estabilidade no emprego para todos os trabalhadores. Entretanto, Lula não recebeu os sindicalistas em audiência agendada.

Participam da reunião desta quarta-feira, os ministros da Fazenda, Guido Mantega, da Casa Civil, Dilma Rousseff, e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, além de quatro diretores da Embraer.

Leia mais sobre Embraer

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.