Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lula propõe na Itália uma nova ordem econômica mais humana

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu a criação de uma nova ordem econômica mundial que dê prioridade ao ser humano e não à especulação financeira, depois de ser recebido nesta segunda-feira em Roma pelo presidente da República Italiana, Giorgio Napolitano.

AFP |

"A atual crise financeira constitui uma extraordinária oportunidade para que possamos refletir sobre os erros e para criar uma nova ordem mundial na qual o ser humano, o trabalhador, o desenvolvimento e a produção cultural, científica e tecnológica sejam o verdadeiro motivo da economia e não a especulação financeira", afirmou Lula após a reunião no Palácio de Quirinale, sede da presidência.

O presidente do Brasil iniciou nesta segunda-feira uma visita oficial de três dias à Itália, durante a qual será recebido na terça-feira pelo chefe de Governo Silvio Berlusconi, assim como pelos presidentes do Senado e da Câmara de Representantes, Renato Schifani e Gianfranco Fini, respectivamente.

A grave crise econômica mundial e a necessidade de atuar de modo coordenado ante a tempestade financeira global serão os temas chaves da agenda de Lula na Itália.

Antes de viajar a Roma, o presidente brasileiro inaugurou no sábado em São Paulo a reunião de ministros do G20, integrado por países desenvolvidos e emergentes, sobre a reforma do sistema financeiro. A meta era preparar a agenda para a reunião de cúpula de Washington deste grupo de nações em Washington, no dia 15 de novembro.

A economia será abordada sobretudo com Berlusconi, que apóia a ampliação do G8 (o grupo de sete países mais ricos do planeta, além da Rússia) a partir de janeiro de 2009, para que grandes países com economias emergentes, como Brasil, Índia, China e México, sejam incluídos.

"Tenho certeza de que um país como o Brasil pode dar uma contribuição significativa à elaboração de políticas coordenadas e incisivas a nível internacional", declarou Napolitano.

Lula será recebido na manhã de quarta-feira no Vaticano em uma audiência privada com o Papa Bento XVI. Uma delegação de ministros brasileiros se reunirá paralelamente com o número dois do Vaticano, o cardeal Tarcisio Bertone.

Durante sua visita, Lula deve se reunir também com representantes dos sindicatos e a patronal italianos.

Encerrada a visita à Itália, Lula viajará para os Estados Unidos para participar, no próximo sábado, da cúpula do G20, que reunirá as nações industrializadas e emergentes que concentram 80% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial para analisar a atual crise financeira.

Leia tudo sobre: lula roma crise financeira

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG