O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, defendeu hoje a adoção de três medidas no Acordo de Basiléia que poderiam contribuir para o fim da especulação financeira. A primeira e principal delas, segundo ele, seria a adoção de um maior controle por parte dos bancos centrais em todo o mundo.

As duas demais seriam decorrência desta atuação mais presente da fiscalização. "É preciso diminuir a capacidade de alavancagem (endividamento) dos bancos e também acabar com a figura dos malditos bônus criados no sistema financeiro, que permitem que o cidadão estabeleça uma meta e um bônus. Aí ficam os agiotas profissionais inventando ganhos para receber mais bônus", comentou.

Sobre a especulação financeira no mercado internacional, Lula lembrou o caso do preço do barril do petróleo. "O que levou o barril a bater na casa dos US$ 150, senão a especulação?", disse. Ele lembrou que na época da alta internacional do petróleo e de outras commodities (matérias-primas), a demanda chinesa foi apontada como a principal responsável. "O consumo na China continua crescendo. Não mudou nada e o preço caiu (para US$ 90). Só pode ser especulação", comentou. A proposta das três medidas deverá ser levada aos Estados Unidos pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, e pelo presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.