O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem, em seu primeiro discurso em 2009, que a estratégia do governo para não deixar que a crise chegue com mais força no País é reforçar os investimentos no primeiro trimestre. Segundo ele, os próximos três meses serão decisivos para atenuar o impacto da crise no País.

"Porque, se nós não tomarmos a iniciativa de fazer as coisas acontecerem neste primeiro trimestre, aí sim poderemos correr um risco de fazer com que a crise chegue aqui mais forte", afirmou Lula, em São Paulo, na abertura da 36.ª Couromoda, a maior feira do setor calçadista e de artefatos de couro da América Latina.

A preocupação foi tema também do programa semanal "Café com o Presidente", ontem de manhã. "Nós vamos ter um trimestre preocupante", disse Lula. Diante disso, ele reafirmou que o governo tomará as medidas necessárias para garantir emprego, salário e renda.

"Vamos convencer a iniciativa privada a continuar investindo. Por isso, nós vamos colocar mais recursos no BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social)", afirmou Lula. Em outra frente de batalha, reiterou, o governo lutará pela redução dos spreads bancários. "Precisamos reduzir o spread bancário para facilitar que as empresas brasileiras, sobretudo as pequenas e médias empresas, possam ter acesso ao crédito."

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), principal vitrine do governo, também terá uma injeção de recursos, prometeu ele. "A Dilma (Rousseff, ministra da Casa Civil) tem a responsabilidade de não permitir que pare uma obra do PAC. Pelo contrário, (deve) inventar novas obras importantes para o Brasil, descobrir novas necessidades. Só posso dizer para vocês que não faltará dinheiro para investimentos."

Em seu discurso na Couromoda, Lula disse que o compromisso com o crescimento é também dos governadores e dos prefeitos. No evento, estavam presentes os governadores tucanos José Serra (São Paulo) e Yeda Crusius (Rio Grande do Sul) e o prefeito da capital paulista, Gilberto Kassab (DEM).

Sem entrar em detalhes, Lula afirmou que o governo está trabalhando com governadores e prefeitos das capitais e vai anunciar novas ações ainda neste mês, principalmente em relação a investimentos. "Como anunciamos o PAC em 22 de janeiro de 2007, nós teremos medidas importantes para anunciar neste mês."

"Neste mês ou no começo do próximo vamos ter uma reunião com alguns governadores de Estados para discutir o que pode ser feito entre o governo do Estado, o governo federal e as prefeituras, sobretudo das capitais. O momento exige mais competência, mais agilidade, e o que nós queremos, na verdade, é mais investimento", disse Lula. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.