Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lula promete mais medidas em 2009

No último dia de trabalho, antes de tirar férias de fim de ano, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu ontem novas medidas anticrise no início de 2009. No programa semanal de rádio Café com o Presidente, Lula informou que até 20 de janeiro a equipe econômica vai anunciar novas medidas de incentivo ao crescimento para evitar que os efeitos perversos da crise financeira abalem a economia brasileira.

Agência Estado |

Entre as medidas, o governo vai ampliar recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para as linhas de crédito já existentes, informou o ministro do Trabalho, Carlos Lupi. Segundo o ministro, o objetivo das novas medidas de estímulo é garantir o emprego. Ele defendeu ações na área de habitação e construção civil, porque "são as áreas em que as respostas à geração de emprego são mais rápidas".

Os Ministérios da Fazenda e das Cidades e a Caixa Econômica Federal estão elaborando um pacote de medidas na área habitacional com o objetivo de reduzir o déficit de moradias. O ponto central do programa é aumentar a disponibilidade de recursos do setor. Em um dos cenários, as operações de financiamento habitacional da Caixa passariam de 600 mil para 900 mil por ano. Outra medida em exame é um mecanismo que permitiria ao mutuário suspender o pagamento do financiamento em caso de desemprego.

Além disso, o governo também quer anunciar medidas de desoneração de investimentos. Essa nova rodada de incentivos tem sido cobrada principalmente pela ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. Ela também pressiona a equipe econômica por medidas mais agressivas para reduzir os spreads bancários e, conseqüentemente, o custo dos financiamentos.

No programa de rádio, Lula disse que o Brasil de 2010 dependerá do que for feito em 2009. O presidente procurou passar uma mensagem de segurança e confiança ao assegurar que o governo não vai ficar "esperando a crise abalar" o Brasil. E pediu ao povo brasileiro que comece o ano de cabeça erguida. "O Brasil depende única e exclusivamente da capacidade do seu governo, da capacidade de sua gente, da capacidade dos seus empresários." O presidente disse que sua maior preocupação é com o desemprego. Segundo Lula, todo o governo está preparado para iniciar o ano trabalhando "fortemente" para impulsionar o crescimento.

De férias desde ontem, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, deixou parte da área técnica trabalhando na elaboração das medidas que serão apresentadas a Lula quando ele retornar a Brasília, em 12 de janeiro. Os esforços imediatos, por enquanto, estavam concentrados na regulamentação do Fundo Soberano. Como Mantega e o presidente, a maioria dos secretários do ministério também saiu de férias esta semana. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG