O presidente Luiz Inácio Lula da Silva orientou o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a acelerar a atuação anticíclica, ou seja, contra a desaceleração da atividade econômica, informou hoje o presidente da instituição financeira estatal, Luciano Coutinho. Por esse motivo, o governo está estudando alternativas de financiamento para o banco para o ano que vem.

"A determinação do presidente é que o banco receba o funding (recursos) necessário. A questão é como", disse Coutinho. Segundo o executivo, o banco está com o orçamento de 2008 garantido, mas está alocando já para este ano recursos inicialmente programados para uso só no primeiro trimestre do ano que vem.

De acordo com ele, China e Brasil são os dois países mais preparados para enfrentar a crise internacional. No caso brasileiro, um dos instrumentos que ajudam a combater a crise, além da "capacidade fiscal", é o BNDES, "que sustenta 70% dos investimentos em infra-estrutura (no País)", argumentou Coutinho, ao encerrar o IV Encontro de Entidades de Crédito Especializadas em Médio e Longo Prazos da América Latina e da Europa, no BNDES.

Coutinho atribui grande importância aos setores de infra-estrutura no País, que considera que vão garantir "um piso de crescimento para a economia brasileira".

Revitaliza

O programa Revitaliza, de crédito para reestruturação e capital de giro para alguns setores econômicos, deve começar a operar na semana que vem, informou Coutinho. A nova regulamentação do programa já foi aprovada pelo Conselho Monetário Nacional e pelo Banco Central. O programa terá R$ 4 bilhões e taxa de juros de 9% ao ano. Os setores contemplados pelo Revitaliza são têxtil e confecções, couro e calçados, madeira e móveis, frutas, cerâmicas, softwares e pedras ornamentais, tecnologia de informação e bens de capital (exceto transportes).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.