BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou hoje (1º) a edição de um pacote de medidas econômicas em decorrência da crise financeira norte-americana. Não tem pacote, respondeu o presidente, ao ser questionado por jornalistas sobre o tema.

Referindo-se também à crise financeira nos Estados Unidos, ao deixar a cerimônia em que recebeu atletas medalhistas olímpicos e paraolímpicos, Lula disse que a situação está "mais tranqüila". De manhã, o presidente se reuniu com ministros da coordenação política, entre eles os que integram a área econômica, como o do Planejamento, Paulo Bernardo, e o da Fazenda, Guido Mantega.

Ontem (30), em Manaus, Lula reconheceu que a crise norte-americana é grave. "Certamente, talvez seja uma das maiores crises econômicas de todos os tempos", afirmou o presidente. "Podemos correr riscos", acrescentou.

Lula demonstrou preocupação com a falta de crédito que pode ser gerada pelos problemas financeiros norte-americanos e negou que tenha criado um "gabinete de crise" para tratar dos efeitos de tal situação no Brasil. Segundo ele, o que tem ocorrido são apenas reuniões mais sistemáticas com integrantes da área econômica.

(Agência Brasil)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.