O presidente do Brasil, Luiz Inacio Lula da Silva, fez um apelo nesta sexta-feira em Havana a uma mudança do atual sistema financeiro internacional, e a tirar proveito da crise, em vez de ficar chorando.

"Uma coisa eu posso garantir: o resultado desta crise é que nós, ao invés de ficar chorando por esta crise, precisamos tirar proveito", disse Lula, na presença do presidente cubano Raúl Castro, ao participar da assinatura de um acordo no setor petroleiro entre ambos os países.

Lula, que realiza uma visita de menos de 24 horas a Cuba, acrescentou que "teremos que mudar o sistema financeiro internacional". O Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Mundial "têm que mudar, porque da maneira que estão funcionando, de nada servem", destacou.

O presidente brasileiro considerou ser "necessário que as economias dos países ricos e dos países pobres possam regular o sistema financeiro internacional".

"Não é possível que todos nós sejamos regulados e o sistema financeiro não tenha nenhuma regulação", apontou Lula.

Acrescentou que "o paradoxo" desta crise é: "os países ricos, que durante décadas determinaram a lógica econômica do mundo, são agora muito dependentes dos países emergentes - os de economia mais controlada e que tem o sistema financeiro mais organizado e um mercado interno capaz de alavancar o desenvolvimento".

cb/mis/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.