O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, em discurso no Palácio do Planalto, que quer antecipar o debate sobre o uso dos recursos da extração do petróleo da camada do pré-sal, localizada abaixo do leito marinho, para garantir que o dinheiro seja destinado a setores mais pobres da população. Sabe por que eu quero discutir logo para onde vai o dinheiro? É porque os mesmos de sempre, que sempre se apoderaram de tudo, vão querer pegar o dinheiro antes de ele chegar ao verdadeiro destino, disse.

Lula reclamou dos que criticam e questionam a viabilidade da extração do petróleo na camada do pré-sal, e disse que "para baixo, todo santo ajuda". "Se fosse subindo poderia ter algum problema. Mas para baixo, até bêbado chega em casa", afirmou.

O presidente disse que ontem, quando esteve no litoral do Espírito Santo para acompanhar a retirada simbólica de óleo na camada pré-sal viveu um momento "glorioso". Para ele, as críticas são uma tentativa de "jogar para baixo" a proposta de extração. "Nós precisamos aproveitar o dinheiro que vamos ganhar com o pré-sal para recuperar a dívida que este país tem com a educação, que vem desde o século 20, e também resolver o problema da pobreza", afirmou.

Lula disse que o governo não sabe quanto existe de petróleo nas reservas nem tem estimativa do preço. Mas reafirmou a importância de antecipar o debate sobre o uso dos recursos.

Universidades

Ainda em discurso na cerimônia de lançamento de novas vagas de graduação nas universidades, Lula defendeu a contratação de professores e técnicos para as universidades federais. Ele reclamou que é "achincalhado" com perguntas sobre o inchaço na máquina pública. "Mas como a gente vai transformar este país em um país de alta competência, se a gente não contratar professores e técnicos?", perguntou.

"Acredito que o Estado brasileiro pode fazer um equilíbrio entre o ensino mercantilista e o ensino que pode transformar este país em um estado muito forte e competitivo".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.