Tamanho do texto

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje que, qualquer que seja o vencedor das eleições de outubro, o Brasil não abrirá mão da estabilidade, do controle da inflação, do investimento público em obras de infraestrutura nem da distribuição de renda. Essas são as condições sem as quais nenhum país dá certo, afirmou, à uma plateia formada por empresários jordanianos e brasileiros.

Lula voltou a defender um Estado mais forte, mas esclareceu que não se referia a um "estado-estatista", mas a um Estado capaz de ser indutor do desenvolvimento. "Se o Estado tivesse cumprido o seu papel, o Lemon Brothers não tinha falido. No Brasil, isso não teria acontecido", disse.

O presidente disse ainda que as razões do sucesso da economia brasileira e de sua menor exposição aos efeitos da crise financeira global foram a expansão da oferta de crédito e a ampliação do mercado interno, por meio de políticas de distribuição de renda. "Éramos uma economia capitalista sem capitalismo", afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.