Existe a possibilidade de um fim satisfatório para a Rodada Doha, mas não está nas mãos do Brasil, disse o presidente Lula, ontem, no programa de rádio Café com o Presidente. Para ele, as negociações dependem da redução do protecionismo agrícola dos países ricos.

"Se nos colocarmos de acordo na questão industrial e eles cederem na questão agrícola, eu penso que teremos um acordo extraordinário. Nós apenas estamos tomando cuidado para não permitir que a flexibilização que eles querem no setor industrial possa significar o impedimento do desenvolvimento industrial das economias mais frágeis", ponderou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.