Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lula diz estar incomodado com fracasso na OMC

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva se declarou hoje chateado e incomodado com o fracasso das negociações na etapa atual da Rodada Doha, na Organização Mundial do Comércio (OMC). O fracasso foi atribuído por Lula às eleições presidenciais nos Estados Unidos e na Índia.

Agência Estado |

Em rápida entrevista no Itamaraty, após almoçar com o presidente da Costa Rica, Oscar Arias Sánchez, Lula disse não restar alternativa imediata aos países senão negociar fora do âmbito da OMC, partindo para acordos bilaterais.

Ao atribuir o fracasso das conversações da Rodada Doha às eleições presidenciais nos EUA e na Índia, o presidente da República foi explícito, citando o último ano da gestão George W. Bush e a possível candidatura a presidente da Índia do ministro do Comércio, Kamal Nath, que endureceu as negociações em Genebra com a representante americana do Comércio, Susan Schwab.

"O Brasil fez o que podia e o que não podia para ter um acordo que favorecesse os países economicamente menores e de agricultura frágil", enfatizou. "Está claro que fizemos as concessões na área industrial e na agricultura e está claro que eles não fizeram o que tinham de fazer", completou o presidente da República, sem detalhar se estava se referindo aos Estados Unidos, Índia e China, os protagonistas da falta de consenso das conversações de Genebra.

Para Lula, a Rodada Doha não acabou, tendo havido, com a ausência de acordo nas negociações, "uma pausa para reflexão". Lembrou que há um ano e meio vem insistindo nos encontros que têm com chefes de governo e de Estado que "o problema na OMC não é econômico, mas político". Na sua opinião, a Rodada Doha "não precisa mais de técnicos, mas de presidentes e ministros que possam sustentar suas posições e decidir".

Lula disse esperar que os Estados Unidos e a União Européia cumpram pontos que foram acordados na Rodada Doha. "Vamos continuar lutando. Os governantes perderam uma oportunidade extraordinária para ajudar os países mais pobres", ressaltou.

Ao seu lado, o presidente da Costa Rica declarou que o fracasso das conversações em Genebra "é uma demonstração da hipocrisia dos países ricos, que sempre dizem que querem ajudar os países da África e da América Latina". Arias classificou como "lamentável" a ausência de acordo nas conversações da Rodada Doha.

Leia tudo sobre: doha

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG