O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, em Londres, que não tem dúvida de que o Brasil poderá crescer 5% em 2010. Ele avalia que está ocorrendo uma revolução silenciosa no País, em razão da melhora da autoestima da população e conquista da cidadania, por meio de projetos como o Luz para Todos e o crédito consignado.

"Nem nós brasileiros temos a dimensão do que está acontecendo no País", disse a executivos e empresários na capital britânica, em seminário sobre o Brasil.

Lula voltou a fazer uma avaliação positiva sobre o desempenho do País em meio à crise e avaliou que a turbulência internacional não teria chegado a proporções tão grandes se as autoridades tivessem tomado as medidas necessárias. Para ele, se o governo dos Estados Unidos tivesse impedido a quebra do Lehman Brothers, a situação não teria ficado tão complicada. "Estávamos habituados a achar que o mercado resolveria tudo, mas há coisas que o mercado não tem como resolver porque não é o seu papel", disse. "Não é papel do mercado fazer política social, isso é o Estado que tem de fazer."

O presidente contou que haverá outro seminário para divulgar o Brasil no exterior em dezembro, na Alemanha. "De lá, queremos fazer no mundo inteiro até que as pessoas descubram o Brasil." O evento em Londres, organizado pelos jornais Financial Times e Valor, foi encerrado com o discurso de Lula. Também participaram a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, além de diversos executivos de empresas nacionais e estrangeiras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.