BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou claro hoje a seus ministros que participará "ativamente" da campanha eleitoral da futura candidata do PT, ex-ministra Dilma Rousseff, assim como do palanque seus aliados nos Estados em seus "horários livres": fins de semana e à noite, ou seja, fora do expediente normal de trabalho na Presidência da República. Lula pediu, entretanto, que seus companheiros de governo tenham cuidado, cumpram a cartilha preparada pela Advocacia Geral da União (AGU) e não cometam deslizes, para evitar punições da Justiça eleitoral. O recado de Lula a seus 37 ministros, dos quais 11 novatos que participaram hoje de reunião ministerial, foi relatado ao fim de almoço na Granja do Torto pelo ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha. Ele confirmou que as eleições e a conjuntura econômica foram os principais temas da reunião. Porém, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, não fez declarações como de costume e passou direto ao sair do Torto, sem falar com os jornalistas.

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou claro hoje a seus ministros que participará "ativamente" da campanha eleitoral da futura candidata do PT, ex-ministra Dilma Rousseff, assim como do palanque seus aliados nos Estados em seus "horários livres": fins de semana e à noite, ou seja, fora do expediente normal de trabalho na Presidência da República. Lula pediu, entretanto, que seus companheiros de governo tenham cuidado, cumpram a cartilha preparada pela Advocacia Geral da União (AGU) e não cometam deslizes, para evitar punições da Justiça eleitoral. O recado de Lula a seus 37 ministros, dos quais 11 novatos que participaram hoje de reunião ministerial, foi relatado ao fim de almoço na Granja do Torto pelo ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha. Ele confirmou que as eleições e a conjuntura econômica foram os principais temas da reunião. Porém, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, não fez declarações como de costume e passou direto ao sair do Torto, sem falar com os jornalistas. Como porta-voz da reunião ministerial, Padilha disse que Luis Inácio Adams, titular da AGU, deu esclarecimentos sobre como os ministros e auxiliares devem se comportar no período eleitoral. Lula teria pedido que seus ministros "se concentrem" nas prioridades em curso em suas pastas, e não "inventem" novas obras. "A preocupação colocada pelo presidente foi para que os ministros priorizem as ações de governo, e não as ações eleitorais", resumiu Padilha. (Caio Junqueira | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.