Em encontro com empresários iranianos que acompanham o presidente do Irã, Mahmud Ahmadinejad, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que pretende visitar o país no ano que vem, em abril ou maio. Ele informou que levará uma grande caravana de empresários brasileiros para conversar melhor sobre o comércio entre Brasil e Irã.

Segundo Lula, nem 5% do potencial de comércio entre os dois países é explorado. "Embora tenhamos relações há mais de 100 anos, nos conhecemos pouco e possivelmente não exploramos nem 5% das oportunidades de negócios que existem entre os dois países", disse Lula. As áreas que podem ser exploradas, segundo o presidente, são as de energia, agricultura, indústria e comércio e ciência e tecnologia.

"É importante começarmos a procurar desde já novas oportunidades de negócios, em todas as áreas. Não existe limite. Vocês que são homens de negócios vão saber encontrar estas novas áreas a serem exploradas. Vocês vão descobrir quanto tempo perdemos por não termos começado a conversar há 10 ou 15 anos", disse.

"Hoje não dependemos mais como dependíamos antes apenas de dois blocos. Daí a importância do Irã para Brasil e do Brasil para o Irã", disse Lula, ao defender a diversificação da balança comercial. Ahmadinejad também reconheceu que os dois países têm enorme potencial e pediu mecanismos de cooperação mais estreita entre Brasil e Ira.

Lula afirmou que são 150 empresários iranianos que estão no Brasil e que ainda vão ao Rio de Janeiro e São Paulo. Ele identificou 26 campos específicos com 62 áreas subsidiárias para negócios bilaterais: construção, automóveis, construção naval, petroquímica, nano e biotecnologia, aeroespacial, agricultura e fármacos.

O presidente iraniano previu um comércio bilateral de US$ 10 bilhões de dólares. Ele disse que quando Lula for ao Irã, os empresários terão reunião de pelo menos duas horas. Ahmadinejad defendeu ainda a abertura de um voo direto de Teerã para Brasília para ampliar as atividades de turismo.

O presidente Lula destacou ainda que o mundo de hoje "exige mais ousadia do que há 20 ou 30 anos". "Não podemos ficar sentados na cadeira esperando as oportunidades. Nesse mundo globalizado, quem ficar muito tempo sentado vai perder oportunidades", disse Lula, afirmando que, na próxima vez que os empresários iranianos vierem ao Brasil, quer fazer uma grande reunião de negócios em São Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.