Tamanho do texto

No discurso de encerramento da 34ª reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico, no Palácio do Itamaraty, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou hoje os investimentos no País. "Este governo socialista, meu e do José Alencar, emprestou R$ 1,5 bilhão em crédito para os bancos oficiais.

No discurso de encerramento da 34ª reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico, no Palácio do Itamaraty, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou hoje os investimentos no País. "Este governo socialista, meu e do José Alencar, emprestou R$ 1,5 bilhão em crédito para os bancos oficiais. Quando chegamos ao governo, o País de economia capitalista muito chinfrim tinha um crédito de apenas R$ 380 bilhões", comparou.

Lula voltou a defender a concessão de empréstimos para a população mais pobre. Como exemplo, citou que em 2002 o Banco do Nordeste (BNB) emprestou R$ 262 milhões e a inadimplência foi de 37,5%. Em 2009, o mesmo banco emprestou R$ 22 bilhões e a inadimplência foi de 3%. "É muito fácil cuidar dos pobres. É por isso que a gente colhe resultados", afirmou.

O presidente, que na próxima semana participará da reunião do G-20 (grupo das 20 maiores economias do mundo), em Toronto, no Canadá, voltou a defender o aumento da participação dos países em desenvolvimento no grupo e no Fundo Monetário Internacional (FMI). Lula afirmou ainda que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, vai passar para a história como o ministro que mais pagou as contas do governo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.