Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lula descarta enfraquecimento da Petrobras

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva descartou hoje qualquer possibilidade de enfraquecimento da Petrobras caso seja criada uma nova estatal para gerir os recursos obtidos com a exploração do petróleo na camada do pré-sal. Lula participou, em Vitória, de um ato em homenagem à primeira extração de óleo da camada do pré-sal, no campo de Jubarte, na Bacia de Campos.

Agência Estado |

"Quando começou a polêmica (sobre a criação da nova estatal) eu acompanhava pela imprensa e via o Gabrielli (presidente da Petrobras) reclamando daqui, dizendo 'coitadinha da Petrobras, vai ser abandonada'. O Estrella (diretor de Exploração e Produção da companhia) quase perdeu os poucos cabelos que restavam a ele. Mas isso não tinha sentido algum. Seria como se eu acordasse num belo dia e dissesse do nada: minha mãe não presta mais e vou arrumar outra. Isso não existe. Mãe é única e a Petrobras é a mãe da industrialização deste País", disse Lula em discurso após a primeira extração de óleo no pré-sal no campo de Jubarte, no Espírito Santo.

Eleição direta

Lula disse que a Petrobras é tão importante que o presidente da companhia deveria ser eleito pelo voto direto. "E depois ele indicaria o presidente da República", disse provocando risos na platéia, principalmente por parte do presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli.

O presidente fez uma série de elogios ao trabalho da estatal. "Feliz é o país que tem o acúmulo de conhecimento da Petrobras. O país que pode construir uma Petrobras pode ser muito mais do que é", disse durante discurso. Vale lembrar que nas últimas semanas surgiram vários boatos sobre qual seria o papel da Petrobras na exploração do pré-sal e chegou-se a cogitar que a empresa perderia os campos de que já detém o direito de exploração.

Cabeça de governo

Lula defendeu que a Petrobras "pense com a cabeça do governo para o desenvolvimento". Argumentando que a estatal tem um número elevado de encomendas a serem feitas junto à indústria naval nos próximos dez anos, ele comentou que "se a Petrobras pensasse com a cabeça de empresa, faria as encomendas em Cingapura e economizaria US$ 100 milhões aqui ou ali".

"É preciso que o presidente da Petrobras e a diretoria pensem na contribuição que eles podem dar neste momento único de crescimento do País. Tem que pensar junto como é que a gente pode desenvolver a indústria nacional e contribuir para o crescimento de renda e emprego", disse em longo discurso durante a cerimônia que marcou a retirada do primeiro óleo de pré-sal, no campo de Jubarte, na costa capixaba.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG