Washington, 12 abr (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva dirá em seu discurso de amanhã durante a cúpula de segurança nuclear em Washington que o terrorismo não deve servir como pretexto para impedir o acesso à energia nuclear com fins pacíficos Em seu discurso, divulgado por antecipação à imprensa pela delegação brasileira, Lula pedirá "a eliminação total e irreversível de todos os arsenais nucleares" como o único meio para garantir que armas nucleares não caiam em mãos erradas.

Washington, 12 abr (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva dirá em seu discurso de amanhã durante a cúpula de segurança nuclear em Washington que o terrorismo não deve servir como pretexto para impedir o acesso à energia nuclear com fins pacíficos Em seu discurso, divulgado por antecipação à imprensa pela delegação brasileira, Lula pedirá "a eliminação total e irreversível de todos os arsenais nucleares" como o único meio para garantir que armas nucleares não caiam em mãos erradas. Ao mesmo tempo, Lula defenderá o desenvolvimento da energia nuclear como fonte de energia, assim como para pesquisa e aplicações médicas. "As considerações relacionadas à segurança nuclear não podem em absoluto servir como pretexto para dificultar o acesso à tecnologia nuclear com fins pacíficos", dirá o presidente. O Brasil defende o direito do Irã de desenvolver a tecnologia nuclear, mas se opõe à fabricação de uma bomba. Lula aproveitará o discurso para reivindicar a reforma do Conselho de Segurança da ONU, onde pretende conquistar um posto permanente para o Brasil, como forma de atualizar a gestão mundial da segurança nuclear. "Persistem as estruturas e regras de 1945. A ONU está perdendo credibilidade", afirmará o presidente. EFE cma/bba
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.