Tamanho do texto

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu hoje, na reunião do G-20, a necessidade de restabelecer a representatividade e a legitimidade das instituições financeiras multilaterais. A cúpula foi convocada para tentar encontrar saídas para a crise financeira que se espalhou pelo mundo. http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2008/11/14/entenda_o_que_esta_em_jogo_na_reuniao_do_g20_2114316.html target=_topEntenda o que está em jogo na reunião do G20 http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/11/15/bush_adverte_contra_protecionismo_2115507.html target=_topMerkel diz que plano contra crise terá 50 medidas

AFP
Bush recebe Lula na reunião do G20 em Washington

Bush recebe Lula na reunião do G20 em Washington

"Precisamos de mais produção, mais emprego e mais inclusão social", pregou Lula, diante de uma platéia de presidentes na Casa Branca, em Washington, depois de salientar que o Brasil não vai abdicar de crescer e, para isso, manterá os investimentos previstos no PAC.

Lula, que insistiu no discurso da necessidade de regulamentação dos mercados, disse ainda que é essencial a reativação dos setores produtivos, para que se mantenham os empregos e a economia em movimento. O presidente lembrou ainda que a receita brasileira para combater a crise internamente é expandir o mercado interno.

Pouco antes de seguir para reunião na Casa Branca, o presidente explicou a necessidade de o G-20 ter uma "regulação séria" e se transformar em um verdadeiro foro político.

"O G-8 não tem mais razão de ser porque é preciso levar em conta as economias emergentes no mundo globalizado", comentou Lula, acrescentando que, "se todos os presidentes estiverem de acordo com isso, a crise será debelada com mais rapidez".

Leia também:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.