Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lula critica paralisação de obras no país

SÃO PAULO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar nesta sexta-feira a paralisação de obras no país e disse que quem paga pelos atrasos é o povo. A manifestação tinha como alvo a decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) de recomendar a impugnação de quatro obras da Petrobras, acusadas pelo órgão de irregularidades, como superfaturamento e restrição à competitividade.

Valor Online |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561708581&_c_=MiGComponente_C

Lula ressaltou, porém, que é favorável à fiscalização dos trabalhos.  Segundo ele, no Brasil, a máquina de execução de obras é frágil e mal remunerada, enquanto a de fiscalização é bem moderna.

"Sou favorável à fiscalização, que façam até 24 horas por dia, via satélite. Acontece que as coisas são complicadas. Muitas vezes as pessoas levantam suspeitas sobre uma obra correta. Ai, manda-se paralisar a obra e, depois de oito meses da obra paralisada, chega-se à conclusão de que a suspeita era improcedente", afirmou o presidente, em Araucária, no Paraná, onde participa da inauguração da primeira etapa das obras de ampliação da Refinaria Getúlio Vargas.

Lula disse que a solução para esse problema é encontrar maneiras de tornar mais ágeis e, ao mesmo tempo, transparentes a execução de obras no país.

Já Petrobras divulgou nota para reiterar que não há irregularidades nos contratos referentes à modernização e adequação da produção da Refinaria. "Existem diferenças nos critérios e parâmetros utilizados pelo TCU e pela Petrobras, o que resultou em diferentes valores em alguns contratos desta obra", explica a estatal.

Agora à tarde, na cidade de Londrina, região norte do Paraná, o presidente participa da cerimônia de assinatura de contratos do programa Minha Casa, Minha Vida.

Leia mais sobre Lula

Leia tudo sobre: lulaobraspac

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG