Brasília, 10 out (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou hoje que pretende convocar líderes dos países do Mercosul para uma reunião extraordinária, a fim de discutir medidas conjuntas para se proteger da crise financeira internacional.

"Acho que tem que haver uma reunião", declarou Lula, que como presidente do Brasil ocupa a liderança temporária do Mercosul, integrado também por Argentina, Paraguai e Uruguai.

Segundo Lula, o chanceler Celso Amorim fará durante os próximos dias os contatos necessários para fixar data e local da reunião extraordinária, que teria como único assunto a crise global.

O presidente reiterou que o Governo preparou o país para fazer frente à derrubada dos mercados globais, mas admitiu que nada poderá impedir o impacto.

"Todos os países vão sofrer, embora o Brasil sofrerá menos que outros", disse.

O presidente disse estar satisfeito com indicadores econômicos brasileiros, entre os quais citou a taxa de emprego, que segue em alta, e as empresas estatais, que mantêm uma elevada capacidade de investimento.

Lula garantiu que o Governo "acompanha a crise econômica com uma lupa" e garantiu que "nada" vai obrigá-lo a cortar orçamentos dos programas sociais ou dos planos de investimento estatais. EFE ed/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.