Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lula conversa com primeiro-ministro da Índia sobre Doha

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva retomou a seqüência de conversas com líderes mundiais para reiniciar as negociações da Rodada Doha de comércio multilateral, da Organização Mundial do Comércio (OMC). Na manhã de hoje, o presidente telefonou para o primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, um dos principais países responsáveis pelo fracasso das últimas negociações, em Genebra, no mês passado - ao lado da China e dos Estados Unidos.

Agência Estado |

Na conversa, de 20 minutos, Lula disse ao indiano que "está disposto a jogar tudo que puder jogar" para que não se perca o que foi obtido até aqui, e que as negociações sejam retomadas. De acordo com a assessoria da Presidência, Singh afirmou que vai pedir uma nova reunião dos ministros de relações exteriores para que trabalhem novamente no tema.

Lula voltou a dizer que o Brasil está disposto a encontrar soluções que não afetem o sistema comercial multilateral. O presidente informou ao colega indiano que teve a mesma conversa com o presidente americano, George W. Bush, e o chinês, Hu Jintao, durante a visita feita a Pequim, na semana passada.

Singh informou a Lula que o diretor-geral da OMC, Pascal Lamy, irá a Índia para tentar retomar as negociações e que a Índia está disposta a uma nova tentativa. O primeiro-ministro disse ao presidente brasileiro que "ficou tão decepcionado quanto os demais" com o fracasso em Genebra, mas que o considera apenas um 'revés temporário'". No entanto, ele defendeu a posição da Índia, afirmando que precisa proteger os 600 milhões de agricultores familiares indianos que seriam prejudicados se não houver avanços.

Também hoje, em Nova Déli, Lamy afirmou que a Rodada Doha pode ser concluída ainda este ano até o fim de dezembro, apesar do colapso das discussões na mais recente. "Ainda há a possibilidade de avançarmos com a Rodada e concluir as negociações este ano. Todos os países membros da OMC concordaram com isso no ano passado", disse Lamy.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG