BRASÍLIA - O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, teve audiência hoje com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para tratar de questões orçamentárias. Mas saiu do Palácio do Planalto sem falar com os repórteres de plantão.

De acordo com a assessoria do ministro, o objeto principal da conversa de Bernardo com Lula não era exatamente o tamanho do contingenciamento na lei do Orçamento da União 2009. A peça orçamentária, aprovada dentro do prazo pelo Congresso - antes do fim do exercício anterior -, deve ser sancionada por Lula nos próximos dias.

A pauta específica do ministro com o Presidente da República seria o remanejamento de recursos de obras em dificuldade de execução ou com atraso para outras com chances de sair do papel ano que vem, no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Bernardo falaria aos jornalistas se Lula "tivesse batido o martelo" nas mudanças propostas pela equipe do Planejamento.

Segundo fontes do Planalto, não há muito o que segurar com o Orçamento 2009, já que as adaptações introduzidas, prevendo tempos mais magros na economia decorrentes da crise econômica mundial, foram enviadas pelo Planejamento e acatadas em sua maioria pelos parlamentares.

As indicações são de que o governo pode sancionar o texto orçamentário até a semana que vem.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.