O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reclamou das declarações contraditórias de autoridades e instituições financeiras internacionais sobre a crise. De vez em quando vejo o presidente do banco central americano dizer uma coisa e o banco europeu dizer outra.

Ou eles se acertam, elaboram um discurso único e começam a colocar o pé na economia real, ou vamos ficar nesse samba do crioulo doido: um dia a Bolsa dispara para cima e outro, para baixo", disse hoje, durante entrevista coletiva à imprensa na capital de Moçambique.

Lula voltou a criticar ainda os especuladores. "Acho que as pessoas precisam tratar a economia com mais juízo e responsabilidade", disse. "A gente tem que ter tranqüilidade para tirar proveito dessa crise e saber que a economia real não é uma roleta. É um jogo que cada centavo deve ter como resultado uma peça, um prato de comida, um pão, uma roupa e não apenas gente querendo ganhar dinheiro com facilidade", disse.

Apesar das críticas, Lula mostrou-se otimista com relação ao mercado financeiro e disse acreditar que as bolsas de valores em queda em todo o mundo vão encontrar o equilíbrio. O presidente avaliou que a crise ainda não chegou à economia real das ruas no Brasil. "A Bolsa cai e sobe. A gente não tem que ficar preocupado se cai num dia e sobe no outro. Ela vai encontrar o equilíbrio dela", afirmou.

"Estou convencido de que o mundo vai se ajustar", acrescentou. Durante a conversa com jornalistas, Lula afirmou que a crise não causou estragos nos países emergentes como China, Índia, Brasil e África do Sul. "Mais convencido estou de que, até agora, a gente não viu nenhuma coisa mais séria acontecer nos países emergentes", disse.

Lula disse que a Islândia, um dos países que mais sofreram com a crise, apostou errado na sua política econômica. "Quem aposta errado pode ganhar muito ou pode quebrar a cara", afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.