BERLIM - A greve de pilotos na Lufthansa, a maior na história da aviação na Alemanha, começou nesta segunda-feira e forçou o cancelamento de centenas de voos, o que deve custar à companhia pelo menos de US$ 130 milhões.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561212280&_c_=MiGComponente_C

Segundo disse à Agência Efe o porta-voz da companhia, Andreas Bartels, a Lufthansa vai cancelar nesta segunda-feira 800 voos, dois terços dos que oferece diariamente, a maioria dentro da Alemanha.

O ministro de Transportes alemão, Peter Ramsauer, tentou até a última hora do domingo, embora sem sucesso, mediar entre os pilotos e a companhia para evitar a greve.

A greve dos pilotos da Lufthansa é fundamentalmente para exigir garantias de emprego e impedir que a companhia contrate parte de seus voos com outras empresas estrangeiras e com pilotos que trabalham com salários mais baixos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.