HELSINQUE - O lucro líquido da Nokia, líder mundial na fabricação de celulares, caiu 36,4% neste ano, até setembro, em comparação com o mesmo período de 2007, indo a 3,412 bilhões de euros (US$ 4,64 bilhões), informou a empresa em comunicado nesta quinta-feira.

Acordo Ortográfico As vendas líquidas da Nokia nos primeiros nove meses do ano ficaram em 38,048 bilhões de euros (US$ 51,745 bilhões), o que representa aumento de 8%. Os lucros por ação da empresa finlandesa caíram de 1,36 euros em 2007 para 0,90 euro este ano.

Também caiu, porém em menor medida (18,5%), o lucro operacional da companhia nos primeiros nove meses do ano, para 4,474 bilhões de euros.

Os resultados do terceiro trimestre da Nokia foram tão fracos quanto se esperava, com queda de 5% de suas vendas líquidas em comparação com o mesmo trimestre de 2007, apesar de ter vendido quase 118 milhões de celulares, 5% a mais.

Isto se traduziu em diminuição de 30% em seus lucros trimestrais, que ficaram em 1,09 bilhão de euros (US$ 1,48 bilhão).

O gigante finlandês estima que sua fração de mercado beire 38%, pouco menos do que há um ano atrás e dois pontos abaixo do trimestre anterior, segundo seus próprios cálculos.

Entre julho e setembro, a Nokia vendeu 5,5% menos celulares na Europa, embora a maior queda tenha acontecido na América do Norte, onde suas vendas diminuíram 16,7%.

O maior aumento aconteceu na América Latina (14,6% a mais), seguido da região da Ásia-Pacífico (13,9%).

Para o restante de 2008, a Nokia calcula que o volume global de celulares crescerá para 1,26 bilhão de aparelhos, contra os 1,14 bilhão do ano anterior.

Esta previsão animou a Bolsa de Valores de Helsinque, onde a cotação da Nokia, que tinha perda de aproximadamente 6% pela manhã, passou a registrar ligeiros lucros após a publicação dos resultados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.