O JPMorgan, terceiro maior banco dos Estados Unidos em ativos e o maior em valor de mercado, anunciou hoje queda de 53% no lucro líquido no segundo trimestre deste ano, para US$ 2 bilhões (US$ 0,54 por ação), em comparação com US$ 4,23 bilhões (US$ 1,20 por ação) no mesmo período do ano passado. Nas mesmas bases de comparação, a receita no trimestre caiu de US$ 18,90 bilhões para US$ 18,40 bilhões.

Segundo o banco, os resultados incluíram US$ 540 milhões em custos associados à aquisição do banco de investimento Bear Stearns. Excluindo a compra do Bear, o lucro do JPMorgan Chase no segundo trimestre seria de US$ 2,5 bilhões.

Na divisão de banco de investimento, o JPMorgan registrou baixa contábil de US$ 1,1 bilhão. O lucro na divisão de banco de investimento despencou 67% e a receita diminuiu 5,7%. Nas operações de banco de varejo, o JPMorgan teve queda de 23% no lucro, em razão do aumento das provisões para perda com crédito, que cresceu de US$ 1,53 bilhão no segundo trimestre de 2007 para US$ 3,45 bilhões no trimestre passado, mas caiu 22% em relação ao primeiro trimestre deste ano.

O presidente-executivo do JPMorgan Chase, Jamie Dimon, afirmou que espera que "o ambiente econômico continue fraco, e provavelmente se enfraqueça, e os mercados de capital permaneça sob estresse". Dimon acrescentou que "como riscos substanciais ainda continuam em nosso balanço, esses fatores provavelmente vão afetar nosso negócio no restante do ano ou além disso". As informações são da Dow Jones.

Leia mais sobre JP Morgan

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.