O lucro líquido do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) atingiu R$ 4,1 bilhões no primeiro semestre deste ano, 6,8% abaixo dos R$ 4,4 bilhões apurados no mesmo intervalo do ano passado. Segundo a entidade, o desempenho recorde de janeiro a junho de 2007 havia sido favorecido por eventos não recorrentes, que não se repetiram na primeira metade deste exercício.

As operações de crédito do BNDES somaram R$ 181,7 bilhões em junho de 2008, com aumento de R$ 15 bilhões em relação ao total registrado um ano antes. A evolução se deve ao aumento das liberações de crédito, que totalizaram R$ 72 bilhões no período entre julho de 2007 a junho de 2008.

O banco de fomento destaca como boa influência na primeira metade deste ano o resultado com participações societárias, que atingiram R$ 4,8 bilhões, o que representa uma expansão de 111,7% em relação ao mesmo intervalo de 2007, quando o resultado com tais participações havia somado R$ 2,3 bilhões.

A carteira de participações societárias da BNDESPar avançou 11,1% em relação a dezembro de 2007, atingindo R$ 21 bilhões em 30 de junho de 2008. De acordo com o banco, o valor de mercado desta carteira, no primeiro semestre alcançou R$ 86,7 bilhões, superando em 313,4% o seu valor contábil.

O BNDES informa ainda que sua carteira fechou o semestre com 97,5% dos créditos classificados como de baixo risco (entre os níveis AA e C), e com nível de inadimplência equivalente a 0,02% do total de financiamentos concedidos até junho deste ano. O saldo da provisão para risco de crédito totalizou R$ 3,9 bilhões.

Ao fim da primeira metade de 2008, o patrimônio líquido do BNDES somou R$ 28,8 bilhões. Com isso, pelas regras do Banco Central, o patrimônio de referência (usado como base para se medir o máximo de alavancagem permitido) do BNDES avançou para R$ 47,8 bilhões, contra os R$ 41,5 bilhões em 2007. Tal expansão favorece o aumento do potencial do banco de concessão de crédito.

O aumento do patrimônio líquido, por sua vez, acabou afetando o índice de rentabilidade do banco que usa como base este quesito, que caiu de 20,8% para 15,4% entre janeiro e junho deste ano.

Os ativos totais do Sistema BNDES aumentaram 9,9% no período em análise e atingiram R$ 222,8 bilhões no final de junho deste ano. Desse total, 79,8% é representado pela carteira líquida de financiamentos e repasses.

Em seu balanço a instituição reforça que o banco atingiu bons resultados mesmo com a redução dos spreads no semestre passado levando as taxas básicas cobradas nos financiamentos para algo entre 0% e 1,8%, ante os 0% a 3% apurados anteriormente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.