RIO - A queda do resultado bruto de intermediação financeira e a redução de receitas com reversão de provisão para risco de crédito foram as principais responsáveis pela diminuição de 27,4% do lucro líquido do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no ano passado, na comparação com 2007. O banco fechou 2008 com ganho de R$ 5,3 bilhões.

O resultado bruto de intermediação financeira fechou o ano passado em R$ 3,8 bilhões, baixa de 19,14% frente aos R$ 4,7 bilhões de 2007. A instituição ressaltou que, nos últimos anos, continuou o processo de redução dos spreads cobrados pelo BNDES.

"A medida contribuiu para a redução do custo total dos financiamentos do banco, favorecendo, dessa forma, novos investimentos na economia", diz a nota distribuída pelo BNDES.

Já as receitas com reversão de provisão para risco de crédito atingiram R$ 445 milhões em 2008, 65,76% abaixo dos R$ 1,3 bilhão obtidos em 2007. No comunicado, o BNDES frisou que este resultado, de natureza não recorrente, reflete "a alta qualidade da carteira de crédito do BNDES e seu baixo nível de inadimplência".

A inadimplência do banco atingiu 0,15% da carteira total, que tinha, em 31 de dezembro do ano passado, 98,2% dos créditos concedidos classificados entre os níves de risco AA e C. O saldo da provisão para risco de crédito totalizou R$ 4,6 bilhões, equivalentes a 13,9 vezes a carteira de créditos inadimplentes.

O resultado das participações societárias se manteve praticamente estável, com R$ 6 bilhões no ano passado, contra R$ 6,1 bilhões no ano anterior, apesar do agravamento da crise internacional e dos seus efeitos sobre ações de empresas a partir do segundo semestre.

Do resultado da instituição com participações societárias, destacaram-se: a alienação de títulos e valores mobiliários, no montante de R$ 4,6 bilhões, derivado da venda de participações societárias de ArcelorMittal, CSN e Aços Villares, realizada no segundo trimestre de 2008, e cujos resultados brutos somados representaram 79,3% do total obtido no exercício de 2008 com alienações; a receita de dividendos e juros sobre o capital próprio, que totalizou R$ 2,1 bilhões, com destaque para Petrobras (R$ 700 milhões); e a provisão para perdas em investimentos, no valor de R$ 700 milhões, constituída com base em estudo realizado pela área de mercado de capitais do BNDES.

O patrimônio líquido do sistema BNDES totalizou R$ 25,3 bilhões, correspondendo a um patrimônio de referência de R$ 42,5 bilhões, superior aos R$ 41,5 bilhões registrados em 31 de dezembro de 2007. O patrimônio de referência é a base utilizada pelo Banco Central para estabelecer limites para a capacidade concessão de crédito.

O índice de adequação de capital (Índice de Basiléia) registrado pelo sistema BNDES foi de 17,7%, contra 11% exigidos pelo Banco Central. O índice de exposição ao setor público fechou em 17,1%, abaixo do limite de 45% estabelecido pelo Banco Central.

Os ativos totais somaram R$ 277,3 bilhões ao final de 2008, 36,8% acima do obtido em 2007. Deste total, 77,9% estão representados pela carteira líquida de financiamentos e repasses.

O banco de fomento recebeu R$ 22,5 bilhões do Tesouro Nacional e R$ 7 bilhões do FI-FGTS, como forma de complementar os recursos para fazer frente à demanda por financiamento no ano passado.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.