Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lucro das empresas responde por metade da receita de impostos

BRASÍLIA - Na visão da Super Receita, até agosto não houve desaceleração da atividade econômica. A tributação direta sobre o lucro das empresas (IRPJ e CSLL) representou 49,23% da receita total.

Valor Online |

Esses dois tributos cresceram 25,19% no ano, enquanto os demais tiveram variação real (deflacionada pelo IPCA) de 5,92% sobre período igual de 2007.

Somente em agosto, os demais tributos federais registraram aumento real de 0,83% em relação ao mesmo mês anterior. Já o ganho somado com as duas taxações diretas sobre a rentabilidade, o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e a CSLL, subiu 17,94%.

"O momento econômico é excelente", disse o novo secretário-adjunto do Fisco, Otacílio Cartaxo. "A leitura que se faz é de que a lucratividade das empresas cresceu muito, e a arrecadação vem aumentando a um ritmo seguro, dentro das expectativas", ele avaliou.

A arrecadação total de agosto bateu novo recorde para o mês, em R$ 53,93 bilhões, incluindo contribuições previdenciárias, com alta real de 4,27%.

O setor de combustíveis foi responsável por 86,03% da receita global do IRPJ e da CSLL, com alta de 587,84% no recolhimento do mês passado sobre agosto anterior. Segundo a Super Receita, dois fatores ajudaram nessa contribuição: a elevação nos preços do petróleo e uma base menor em agosto de 2007, quando o setor distribuiu lucros sobre capital próprio.

A segunda maior fatia no recolhimento desses dois tributos vem do setor automotivo, com alta real de 87,87% em conseqüência das vendas recordes de automóveis. Em terceiro lugar está o comércio atacadista, com alta de 41,05% sobre agosto anterior e participação de 11,58% no bolo arrecadado.

No caso da CSLL, o secretário lembrou da cobrança a partir de junho de alíquota maior (15%) sobre as entidades financeiras. Mas o impacto em agosto foi negativo em 8,22%, já que a base do mesmo mês no ano passado estava elevada por inúmeras operações de abertura de capital das entidades, encolhidas com a crise externa.

Já o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre o crédito, que teve alíquotas ampliadas em janeiro para substituir a extinta CPMF, teve alta real de 171,04% sobre agosto de 2007, informou a Super Receita.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG