SÃO PAULO - A montadora japonesa Nissan anunciou hoje uma queda de 40,5% em seu lucro líquido no primeiro semestre fiscal, para 126,34 bilhões de ienes (US$ 1,28 bilhão). Segundo a empresa, o principal motivo para o desempenho foi a valorização do iene frente o dólar, que prejudicou suas receitas no exterior, e a forte queda na demanda nos EUA.

Também tiveram seu efeito as provisões realizadas em função do aumento no risco dos financiamentos na América do Norte.

Um dos resultados imediatos desse desempenho é a decisão, anunciada também hoje pela montadora controlada pela francesa Renault, de demitir 3,5 mil funcionários.

O faturamento líquido da companhia caiu 3,9% no semestre entre abril e setembro, para 4,86 trilhões de ienes. Já o lucro operacional da empresa caiu 47,8% no semestre, para 191,6 bilhões de ienes.

Segundo a empresa, ela vendeu 1,902 milhão de veículos em todo o mundo nos primeiros seis meses meses de seu ano fiscal, 4,7% mais que no mesmo intervalo do ano passado. Na América do Norte, porém, as vendas caíram 0,9% no período, para 666 mil unidades. No Japão, a empresa comercializou 4,3% menos veículos, num total de 318 mil unidades. O crescimento na Europa foi de 0,7%, para 306 mil carros e, no restante do mundo, de 20,6%, num total de 612 mil veículos.

"A crise econômica e financeira global teve um profundo impacto em todas as áreas de nossa indústria, com o arrocho no crédito e a retração na confiança dos consumidores sendo os fatores mais danosos", afirmou o presidente e executivo-chefe da Nissan, Carlos Ghosn. "Desde que não vemos nenhum alívio no segundo semestre, estamos tomando todas as medidas necessárias e responsáveis para proteger a companhia e preservar nossa habilidade de dar a volta por cima quando as condições melhorarem", acrescentou o executivo, que também comanda a controladora Renault.

No segundo trimestre fiscal, a Nissan obteve lucro líquido de 73,5 bilhões de ienes, 38,8% menos que no mesmo período do ano anterior. As vendas da companhia fecharam em queda de 3,7%, em 2,52 trilhões de ienes. Já o lucro operacional encerrou o trimestre entre julho e setembro em 111,7 bilhões de ienes, 48,9% abaixo do que havia sido registrado nesses mesmos três meses de 2007. Nesse período, foram vendidos 966 mil veículos pela Nissan em todo o mundo, 2,7% mais que no ano anterior.

Segundo a montadora, as 3, 5 mil demissões devem ser realizadas até dezembro em suas fábricas no Japão, na Espanha e nos EUA. Na Espanha e nos EUA, serão 2,5 mil cortes, sendo que outros mil empregos temporários serão extintos no Japão.

Também em reflexo ao desempenho nos seis primeiros meses do ano fiscal, a empresa reviu para baixo suas projeções para o fechado de 12 meses e agora espera um lucro líquido de 160 bilhões de ienes, contra 340 bilhões de ienes esperados anteriormente. No último ano fiscal, a empresa registrou lucro líquido de 482,2 bilhões de ienes.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.