Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lucília Diniz leva sua linha Goodlight para a Nestlé

Depois de ver sua marca de produtos light Goodlight ser substituída por uma nova grife, a Taeq, nas gôndolas do Pão de Açúcar, a empresária Lucília Diniz decidiu tentar um vôo solo. A irmã de Abílio Diniz anunciou na época de sua saída que poderia fornecer seus produtos até para os concorrentes da rede de supermercados de sua família.

Agência Estado |

Dois anos depois, Lucilia conseguiu um parceiro de peso.

Aos prantos, Lucília anunciou ontem uma parceria com a Nestlé, que passa a ser responsável pela produção e distribuição de seus produtos de baixa caloria. "Cheguei na casa que eu queria estar, após mais de dez anos nesse segmento. Eles entendem tudo de nutrição", disse Lucília, ao apresentar o negócio, ontem em São Paulo.

Apesar do choro, Lucília está feliz. Os primeiros 20 produtos da nova marca Goodlight Nestlé - sopas, caldos e pastas - terão distribuição nacional. E serão vendidos inclusive no Pão de Açúcar - em concorrência direta com a linha Taeq, a grande aposta de Abílio Diniz no segmento de produtos saudáveis.

Sob o comando de Lucília, a marca Goodlight chegou a um faturamento de R$ 60 milhões e 280 itens, quando começaram as negociações com a Nestlé. A produção, até então nas mãos de terceiros, será transferida para a Nestlé.

Expansão

Para a Nestlé, o negócio representa uma boa oportunidade para expandir suas linhas de produtos de baixa caloria. Embora seja líder na categoria leite em pó light - a marca Molico tem 50% de participação de mercado - a multinacional tem o objetivo de aumentar a presença em outros itens, como barras de cereais e iogurtes, cujo mercado é mais pulverizado.

O segmento inaugurado de caldos e sopas vai começar pequeno, mas promissor, diz Ivan Zurita, presidente da Nestlé. A companhia não revelou quantos itens serão lançados, mas deverão abranger várias categorias. "Queremos ser líderes em baixa caloria", disse. A Nestlé prevê vender 2 mil toneladas de produtos no primeiro ano, com um faturamento previsto de até R$ 6 milhões.

"A projeção é duplicar esse faturamento a cada cinco anos. A linha responderá, no primeiro ano, por 20% do total do segmento de sopas da companhia e nos ajudará a ganhar um ponto percentual de participação de mercado nesse segmento", afirmou Zurita. Segundo ele, não serão necessários investimentos imediatos na produção da nova linha, que será acomodada na unidade industrial de Salvador.

Com 17 divisões de negócios no Brasil e 2.470 itens, a Nestlé espera fechar o ano com um faturamento de R$ 15 bilhões. De acordo com Zurita, há espaço para crescer, uma vez que os produtos desidratados têm baixa presença no mercado. A produção nacional de sopas e caldos é de cerca de 100 mil toneladas/ano, enquanto a de biscoitos, "supérfluo"de maior penetração, segundo ele, é de 990 mil toneladas/ano. Na mira estão as classes C e D e as pessoas que moram sozinhas.

Os novos produtos passaram pelo crivo da apresentadora Hebe Camargo. "Não gostava de comida light, mas essa sopa forra o estômago", disse Hebe, na apresentação da linha.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG